Eu sou Susana e esta é a minha experiência. Venho de uma cidade perto da Corunha, na Galiza. Tenho 26 anos.

Tirei um curso de quatro anos de ensino básico para ser professora de crianças até aos 12 anos. Posteriormente, tirei um curso de dois anos em Integração Social. Eu acho que sou uma pessoa comprometida, curiosa, com constante desejo em aprender e muito ansiosa para trabalhar com pessoas. Os meus hobbies são ler, a fotografia, a ciência, a natureza, o cinema, viajar, o desenvolvimento sustentável, etc.

Através do programa de Garantia Jovem, consegui a bolsa projeto Galeuropa. Graças a esta oportunidade, estou a fazer um estágio de três meses na Associação Renovar a Mouraria, uma casa comunitária sita (situada) no Bairro da Mouraria. É o bairro mais multicultural de Lisboa onde historicamente ficaram as pessoas imigrantes e nos velhos tempos os/as moradores/as não saíam da zona nem entrava ninguém. Alguns anos atrás, o bairro abriu-se e os turistas começaram a apreciar as suas pitorescas ruas e as tascas onde nasceu o fado. A Renovar a Mouraria é responsável por fornecer suporte legal gratuito, apoio escolar às crianças do bairro, organização de eventos culturais… Em suma, fazer a “renovação” que a comunidade encontrou necessária neste bairro. Entre as principais atividades, há coordenação de apoio educativo onde diferentes voluntários estão envolvidos no acompanhamento dos miúdos, na programação de atividades de lazer e na participação de qualquer outro projeto da associação.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Entre outras coisas, o que mais gosto de Lisboa é atravessar suas ruas, observando as fachadas dos edifícios. Eu gosto de olhar para as calçadas peculiares, feitas pelos artesãos do empedrado português, os “calceteiros”, e procurar o seu sinal nas pedras do chão. O melhor é perder-se em becos estreitos, cheios de infinitas escadas. Quando você atravessa Lisboa, olhe para as paredes ao seu redor porque encontrará uma frase ou poema inspirador.

Eu adoro encontrar tascas antigas, decoradas e cheias de personalidade, e beber uma imperial nelas. Nesta cidade existem pequenas lojas de bairro alternativas às grandes superfícies onde se pode encontrar objetos ou roupas especiais. Além disso, você também encontrará artesãos e músicos de rua podendo-se ouvir tocar música ou comprar algum produto artesanal.

Uma coisa que eu amo em Lisboa é a grande atividade cultural que existe, de todos os tipos e gratuita. É impossível ficar aborrecido aqui!

Muitas pessoas dizem que o melhor pôr-do-sol é em Lisboa. Mas quando o sol se põe, Lisboa à noite é linda desde os miradoiros, com o Castelo e a ponte “25 de abril” iluminados.

Mas como uma cidade grande, o que eu menos gosto e a dificuldade que há em intervir em grupos de exclusão social e a pobreza que existe nas ruas. Eu acho que ainda há muito trabalho a fazer. Também, estresa-me a agitação do metro, das estações, o turismo de massa, etc.

Um dia, caminhando pela cidade, encontrei uma dessas frases inspiradoras escrita numa fachada: “Eu sou outro você”. Para mim, essa frase simboliza este mês em Lisboa: eu sou outro você, você é outro eu… Olhar para os olhos dos/as outros/as e me reconhecer neles… Cada um/a vive suas próprias experiências, mas estamos constantemente interagindo, unidos/as. Estou a conhecer pessoas de diferentes culturas e a aprender a ver a realidade da sua posição e, graças ao meu estágio na associação e no bairro onde trabalho, sei que vou conhecer muitas mais. Uma palavra que achei muito engraçada quando cheguei em Lisboa foi “cabeleireiro”.

Alguns dos meus lugares favoritos são o Chapitô e o Bartô, lugares perto do castelo decorados com a temática do circo. Pode-se ver lá belas vistas e eles organizam muitos workshops e concertos. Embora seja bem conhecido, adorei a pequena Tasca da Severa, onde o fado nasceu no bairro da Mouraria. Tive a oportunidade de passar algum tempo conversando com o Sr. António, que é bem conhecido em Lisboa. Embora existam muitos miradoiros em Lisboa com uma linda vista, a que mais gostei foi do miradoiro Sophia de Mello Breyner Andresen e o da Nossa Senhora do Monte, ambos no bairro da Graça. São os mais altos e dá uma bela perspetiva da cidade.

A nível pessoal, nos dois meses restantes, quero continuar a adquirir habilidades profissionais, adquirir técnicas de trabalho, conhecer pessoas, participar em cursos, etc. A nível profissional, quero voltar para a Galiza e encontrar trabalho ou continuar a aproveitar as oportunidades de mobilidade, estou aberta a qualquer possibilidade! No tempo livre, quero continuar a conhecer Lisboa e os seus arredores, muito pouco tempo e tantos lugares para visitar!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s