Contexto

A ideia do projeto RECOV tem origem na consciência de que nas sociedades europeias de hoje, as autoridades locais desenvolvem e implementam políticas de desenvolvimento local sustentáveis e inclusivas. Deste modo, os problemas locais e europeus devem ser tidos em conta e colocados em sinergia. O RECOV visa autarquias, cidadãos e comunidades, criando redes locais capazes de trabalhar conjuntamente na melhoria da governança local através do diálogo e participação, contribuindo para uma sociedade mais inclusiva e democrática.

A participação de cidadãos e de autarquias, ajuda a promover o intercâmbio das melhores práticas de cooperação local, bem como a partilha de soluções que contribuem para o estabelecimento de redes de aprendizagem a nível europeu. As atividades de capacitação, discussões sobre a contribuição da UE para políticas e iniciativas locais, bem como formas e ferramentas para sua melhoria, contribuem para promover a cidadania europeia e melhorar as condições e a participação democrática a nível da União.

O projeto foi desenvolvido por 10 parceiros espalhados pela Europa, reconhecendo a importância de responder em conjunto a desafios emergentes recentes e de aproveitar oportunidades oriundas desta cooperação. Tem por objetivo criar uma rede de cidades dispostas a trabalhar juntas na troca de problemas comuns, reflexão conjunta e na introdução de medidas específicas que vão de encontro aos objetivos específicos do projeto.

 

Objetivos

Primeiramente, o projeto pretende responder ao problema da comunicação insuficiente entre governos e cidadãos, situação que gera desconfiança e passividade na sociedade civil. O projeto propõe a utilização de instrumentos TIC recém desenvolvidos como potencial solução de “abertura” d o trabalho desenvolvido por governos através de uma tomada de decisões participativa e a avaliação de políticas e programas, ao mesmo tempo que melhora a transparência e a responsabilidade de tais processos e executantes.

Em segundo lugar, o projeto irá promover o debate entre governos locais sobre os instrumentos financeiros atuais, políticas da UE e eventual apoio da parte da UE a problemáticas locais assim como meios alternativos de angariação de fundos. O projeto toma em consideração, portanto, regra geral, das limitações financeiras dos governos locais.

Em terceiro lugar, o projeto reconhece o fracasso das abordagens unilaterais à resolução de problemas. Por conseguinte, o projeto sugere abordagens colaborativas que mobilizem atores locais de diferentes e diversificadas áreas de trabalho e atividade e, trabalhando em sinergia, ponham o seu conhecimento e competências ao serviço do bem comum. O evento final aproveitará dos resultados das ações locais e eventos internacionais, concentrando-se no sucesso da inclusão, participação e colaboração como formas de combater um défice de confiança da parte dos cidadãos nas instituições ao mesmo tempo em que fomenta a cooperação entre atores locais, assim contribuindo para a emergência de soluções inovadoras e para o reforço do sentido de apropriação e empoderamento.

Objetivo Geral

Criar redes locais capazes de trabalhar em conjunto na melhoria da governação local através do diálogo e da participação, contribuindo para uma sociedade mais democrática e inclusiva.

Objetivos Específicos

  • Fomentar a troca de boas práticas de cooperação local assim como partilhar soluções que contribuam para a criação de redes de aprendizagem a nível Europeu.
  • Atividades de capacitação, debates sobre a contribuição dada pela UE às políticas e iniciativas locais assim como formas e ferramentas de melhoramento de forma a incentivarem a cidadania Europeia e a participação democrática ao nível da UE.
  • O lançamento de plataformas de diálogo entre autoridades locais, cidadãos e outros atores;
  • Informar e sensibilizar para as políticas da UE focadas neste tipo de desafios sociais assim como em mecanismo capazes de os resolver, tanto ao nível local como Europeu.
  • Criar oportunidades para a aprendizagem e a partilha de novas soluções, particularmente as do ramo tecnológico que podem ser utilizadas para a elaboração de novas ferramentas para a participação e iniciativa cidadão.

 

Eventos

O Clube teve a oportunidade de estar no 2º encontro transnacional do projeto RECOV que decorreu nos dias 16 a 18 de Janeiro de 2018 em Schio, Itália. O encontro dedicou-se sobretudo à partilha de experiências entre parceiros do trabalho feito a nível local relacionado com a utilização de TIC’s para efeitos de co-governação e de forma a refletir sobre serviços públicos colaborativos, criação e gestão de espaços de cowork e co-housing e preparar o segundo momento de intervenção local relacionado com este mesmo tema.

 

Coordenação

  • Municipality of Centar, Skopje – Macedonia (FYROM)

Parceiros

  • European association for local democracy ALDA – France
  • Municipality of Santoroso – Italy
  • Municipality Grosuple – Slovenia
  • Clube Intercultural Europeu, Amadora – Portugal
  • City of Uzice – Serbia
  • Albanian association of Municipalities, Tirana – Albania
  • Raunas Novada Dome, Rauna – Latvia
  • Asociatia Nationala a Femeilor din Madiul Rural, Rucar – Romania
  • Unione dei comuni Montiferru, Milis-Oristano – Italy

Financiamento: Programa Europa para os Cidadãos (UE).

Ponto de Contacto no Clube Intercultural Europeu

Nuno Wemans
Gestor de Projetos
nuno.wemans@clubeintercultural.org

 

Anúncios